✑ EU ABISMAIS

Você não é mais aquela garota linda cor da manhã
Que me encantou um dia,
Você não tem mais a cor do sol
Ebriando qualquer espaço meu,
Você não se parece mais em nada com o céu azul
Azul capaz de dominar minhas montanhas,
O teu rosto está vazio pra o meu eu(pra o meu querer)

✑ Caminho

Como eu queria que passasse toda essa dor...
Esquece, esse torpor não irá passar.

Como posso ver o que esta escondido?
O que posso fazer para mudar o que eu fiz?
Nunca, nunca,  será desfeito,
Mas então sigo em frente, buscando o imperfeito.

Eu já vejo o meu caminho e estou sozinho,
E eu insisto, mesmo que digam que é além,
Muito além do que eu posso ir,
Nâo tenho o luxo de chorar,
O sol já vai nascer,
Minha cabeça doi, será que vou enlouquecer?

✑ Só agora que percebi

Eu escrevi sobre Ela compulsivamente
quis registrar tudo que sentia
quando a via por aí
sobre os olhares que foram trocados
daquilo que foi crescendo no meu coração
Pensei talvez que se um Ela viesse a ler
entenderia que tudo que foi dito era sincero
e não uma tentativa de querer
algo casual

✑ Minha magnitude é a minha inércia

minha magnitude é a minha inércia
e também a falta de dados
por serem jogados
ou atirados cedo demais.
A aspereza desses momentos são a certeza
da leviandade que se atirará nos braços do desejo
Minha magnitude não é satisfação
é a suposição,
entre os muros que se enquadram a certeza
se firma a incompletude.
Por isso não me ame só agora
e nem limite tudo isto
num tempo.

Topo