✑ Desejo

Queria dizer
que foi uma noite daquelas
Que nos beijamos
Que nos abraçamos
Que andamos sem rumo
E rimos sem saber o motivo
Eque quando chegamos
na sua rua,
na sua porta,
para que eu fosse convidado
a entrar,
pediria aquele tradicional copo d'água.
E tu entendo a indireta,
iria acenar com um sim
com a cabeça
e então nos poriamos para dentro.
Nem esperaria
você ir para a cozinha
atrás da suposta água
Te poria entre meus braços
e num movimento certeiro
te tocaria em todos os lugares
sutilmente
Te beijaria devagarinho
Apreciaria meus lábios tocando
teus lábios e demais partes do seu
corpo
E te despindo silenciosamente
Veria no teu olhar sem fim e terno
Que me diria
Vamos nos possuir aqui mesmo
nessa sala
E seríamos um só corpo
perante os deuses
Entretanto recupero a razão
E percebo que se trata
de um desejo
somente
E que tudo não passaria de devaneios
em meio a uma conversa de
celular

Compartilhe esse poema nas redes sociais!

Leia Também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo