✑ Despedida

É nessa chuva
que te acompanho.
Até o local da partida
E não disse nada
Pois guardo as palavras
para que no momento apropriado
Elas tenham o efeito
desejado
Te olho nos olhos
disfarço a vontade
de questiona-la
a respeito de nós
A resposta não me agrada
E fico somente
analisando suas palavras
A vontade de sair
ir embora
impera agora
Me recuso a sair derrotado
Ainda tenho
outras cartas na manga
E as usarei
se isso a fizer ficar
Essa espera agonia
a alma,
aperta meu peito
Sei que vai partir
ficar longe
E mais uma vez
fico a esperar-te
Maquino coisas para dizer
Te fazer ficar é que quero
Sem êxito
Enquanto caminhamos
Penso que seria a hora
de beijar-te
Quando chega a embarcação
Carrego as malas pesadas
Vai levando a cidade contigo?
Não penso em mais nada
Sigo caminhando
ao teu lado
Vazio
E antes de partir
O que sobrou?
um beijo roubado.

Compartilhe esse poema nas redes sociais!

Leia Também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo